Voltar

A expansão por meio da franquia

Neste último ano preparei a CWK para ser uma franqueadora. A decisão veio depois de extensa análise sobre o setor de Coworking no Brasil, a posição da CWK no mercado e o segmento de franquias. A conclusão é que o Brasil tem um potencial empreendedor enorme e, mesmo com a economia crescendo muito pouco, a vontade do brasileiro de ter seu próprio negócio continua em alta. Além disso, o mercado de Coworking está em expansão, embora saibamos disso na prática, vendo vários espaços surgirem ao longo do ano, já que não existe uma pesquisa oficial sobre o assunto. Por fim, os últimos dados do segmento de franquias apontam que houve crescimento de 11% no setor em 2013. Somando-se os fatos, a CWK optou por tornar sua rede de escritórios de Coworking mais sólida, oferecendo também a franquia de seus serviços, com o expertise de um negócio que já deu certo.

Acredito que algumas premissas devam estar bem definidas na empresa antes de ser tomada a decisão de franquear um negócio, tais como o objetivo da expansão e a forma como ela irá acontecer. A responsabilidade em colocar o negócio que você criou para que um terceiro trabalhe um determinado mercado é muito grande. Um mercado mal trabalhado pode nunca ser recuperado.

No entanto, nesse ano de pesquisa e formatação da CWK Franqueadora, percebemos que são inúmeras as marcas que são colocadas no mercado de franquias sem que a empresa esteja preparada para tal, sem que seja traçado um objetivo e, muitas vezes, visando apenas aos interesses do franqueador.

Para se franquear uma marca são necessários alguns passos importantes: Primeiramente, é necessário fazer um estudo para responder à seguinte pergunta: meu negócio é franqueável?

No decorrer do ano me apresentaram diversas variáveis e justificativas do porquê franquear uma empresa mas o negócio é franqueavel quando ele pode ser bom para as duas partes interessadas, o franqueador e o franqueado. Não só no aspecto financeiro como no aspecto de relacionamento, de processos, de produtos e serviços. O primeiro passo para o  fracasso de uma empresa franqueadora é ter uma política egoísta. Franquear é dividir o segredo do seu negócio e isso é base para uma relação de sucesso no sistema de franquia.

Outros passos importantes no processo de franquia são: estudo financeiro da franqueadora e do franqueado, elaboração da COF (Circular de Oferta de Franquia), elaboração do contrato de franquia e manualização dos processos internos do negócio.

Falaremos aqui sobre o estudo financeiro e os processos, pois a COF e o contrato são documentos jurídicos que não influenciam na operação do dia a dia da franquia. O estudo financeiro servirá primeiramente para avaliar se o resultado operacional do negócio é positivo para os dois lados. Ninguém vai manter uma franquia para não dar lucro, assim como a franqueadora também não o fará. O estudo dessa DRE (Demonstração do Resultado do Exercício) deve ser muito analítico e sensível a mudanças mercadológicas. E obviamente, ele deve expressar a realidade da franquia.

No mundo empresarial não existe milagre e nem resultados mirabolantes, ou seja, planilhas financeiras muito otimistas geralmente possuem algum erro em sua elaboração. Essa planilha é dinâmica e deve sempre estar atualizada com a realidade do momento da empresa.

A criação de um manual da franquia, contendo todos os processos da empresa, é a etapa mais longa da formatação e tão importante quanto as outras. No entanto, o manual não ensina o franqueado a montar a franquia por completo. É um engano pensar que uma pessoa em  posse do manual da franquia irá montar a empresa sozinha. Descobri, com a manualização da CWK, que somente o treinamento in loco pode tornar uma franquia apta a operar. É importante colocar no manual tudo aquilo que pode gerar dúvidas na franquia em relação às operações de rotina, para facilitar a comunicação entre as empresas.

De tudo o que aprendi durante o processo de formatar a CWK Franqueadora, o mais importante foi entender que expandir uma marca por meio de terceiros é muito delicado e complexo. Requer atenção em tempo integral uma vez que a transferência do know-how depende de pessoas e lidar com pessoas é a parte mais importante de qualquer negócio.

Bruna Lofego

Bruna Lofego é administradora, formada pela UNA, com 15 anos de experiência em administração de empresas e 12 em empreendedorismo. Cursou especialização em marketing digital na ESPM e pós graduação em Marketing na UNA. Há cinco anos fundou a CWK Coworking, em expansão por todo o Brasil e se especializou na terceirização de serviços operacionais. É autora do Blog da CWK em que aborda a gestão de um espaço de coworking e empreendedorismo em geral.

Veja outros posts do autor

Fique atualizado

Receba um conteúdo exclusivo da CWK diretamente no seu e-mail.


5 respostas para “A expansão por meio da franquia”

  1. Avatar Érica disse:

    Boa Tarde, gostaria de saber sobre a franquia da CWK

  2. Avatar Magda disse:

    Boa Tarde, gostaria de saber sobre a franquia da CWK

  3. Avatar http://www./ disse:

    Tapez votre commentaire Vous pouvez utiliser ces tags HTML: <a> <abbr> <acronym> <b> <blockquote> <cite> <code> <del> <em> <i> <q> <strike> <strong> Prévenez-moi par mail en cas de nouveau commentaire

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa Newsletter