Voltar

Empreender ou não, eis a questão!

Tenho participado de algumas discussões sobre ter um negócio próprio ou não, e percebo que a dúvida das pessoas são sempre as mesmas: O que montar? Onde? Como conseguir o capital? Entre outros. No entanto, as questões mais importantes que percebo, vão muito além dessas dúvidas sobre o negócio em si. Uma análise interna da própria pessoa é tão ou mais importante do que as características do negócio que será iniciado. Muitas vezes, as pessoas, no impulso, montam uma empresa sem analisar o seu próprio contexto dentro daquela situação e posteriormente acabam fracassando no seu projeto.

Abaixo algumas dicas para reflexão antes de se pensar em abrir um negócio:

1)   Sou capaz e quero assumir o risco de ter um negócio próprio? Essa é a primeira questão a ser analisada, pois qualquer negócio tem chances de dar certo e chances de dar errado. Se der errado, a pessoa tem que ser capaz de lidar com o fracasso incluindo ter humildade para pedir ajuda e voltar ao mercado de trabalho. Se der certo, a pessoa tem que ser capaz de administrar o seu sucesso, sem esquecer que o risco estará sempre por perto.

2)   Tenho paixão por esse tipo de negócio? Não adianta montar uma loja de sapato, se sua paixão for bolsas. O produto ou serviço oferecido deve ser adorado por você, e obviamente você deve saber tudo a respeito dele. Se o seu trabalho for montar uma pizza, cuide para que seja o melhor pizzaiolo da cidade e assim por diante. Entender profundamente as características do seu produto fará de você um especialista e não apenas mais um no seu mercado.

3)   Plano de Negócios – Essencial para qualquer nova empresa, o plano de negócios não precisa ser nenhum livro de mais de 100 páginas, o importante mesmo é que ele seja escrito pelo empreendedor. Pagar um consultor para escrever o PN faz o futuro empresário se afastar da raiz do seu negócio, porque na medida que o planejamento é escrito, forma-se os moldes essenciais da empresa como seus valores, seus objetivos, como ela vai atuar, quanto vai cobrar, quem são seus clientes e etc.

4)   Planejamento Financeiro – Ele tem que ser feito tanto para a empresa como para o empreendedor, afinal ele não vai poder retirar pro labore antes da empresa dar lucro e por isso, é importante planejar como ele irá se sustentar até a empresa poder remunerá-lo. Um erro muito comum é não planejar uma folga no fluxo de caixa da empresa para os primeiros meses, nos quais não haverá um grande faturamento. O planejamento financeiro é a única parte do plano de negócios que pode requerer um especialista para ajudar na montagem.

5)   Tenho a aprovação da minha família? A aprovação de quem estará do seu lado, nos momentos bons e ruins de ser empresário, é essencial. Seja seu marido, seja seu pai ou seus filhos, não há nada mais importante que o apoio familiar tanto para dividir uma grande conquista, como um ombro amigo para aquele contrato que não foi fechado em tempo hábil.

Gostou? Preparamos também um exemplo de fluxo de caixa para você preencher e conseguir se organizar antes de tomar a decisão de iniciar seu negócio.

Clique aqui e baixe sua planilha de fluxo de caixa

Bruna Lofego

Bruna Lofego é administradora, formada pela UNA, com 15 anos de experiência em administração de empresas e 12 em empreendedorismo. Cursou especialização em marketing digital na ESPM e pós graduação em Marketing na UNA. Há cinco anos fundou a CWK Coworking, em expansão por todo o Brasil e se especializou na terceirização de serviços operacionais. É autora do Blog da CWK em que aborda a gestão de um espaço de coworking e empreendedorismo em geral.

Veja outros posts do autor

Fique atualizado

Receba um conteúdo exclusivo da CWK diretamente no seu e-mail.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Assine nossa Newsletter